JORDAN RULES? ENTENDA O QUE FOI!
JORDAN RULES? ENTENDA O QUE FOI!
Jul 28, 2020

JORDAN RULES? ENTENDA O QUE FOI!

Victor Santo FOTO: Andrew D. Bernstein NBAE/Getty Images, Ed Wagner/Chicago Tribune, Dick Raphael NBAE/Getty Images, Focus On Sport

Michael Jordan e o Chicago Bulls enfrentaram grandes adversários durante a corrida busca de seus dos seus 6 campeonatos, incluindo o Utah Jazz, o Los Angeles Lakers e o Seattle Supersonics que obviamente não tiveram a mesma “sorte”. Mas antes da conquista dos 6 títulos, Jordan enfrentaria um dos maiores desafios de sua carreira: o Detroit Pistons e as regras criadas contra ele mesmo, as chamadas “The Jordan Rules” ou as regras de Jordan.


Detroit Pistons e Chicago Bulls se enfrentaram em quatro pós-temporadas seguidas a partir de 1988. Nessa época, Michael Jordan, no auge dos seus 24 anos, estava pronto para assumir o campeonato depois de receber o título de “MVP” e derrotar o Cleveland Cavaliers.


O plano e 'questão de honra' dos Pistons era vencer o Bulls em 5 jogos e mandá-lo de volta para casa.

 

Jordan voltou em 1989 e queria continuar provando sua soberania, desta vez nos playoffs com Bulls e Pistons nas finais da Conferência Leste. Chicago começou muito bem aquele jogo, aumentando sua vantagem para 2-1 na série, com 46 pontos do número 23.

 

 

Os Pistons precisavam deter MJ a qualquer custo, então, o técnico Chuck Daly estrategicamente definiu que: Se Michael estivesse com a bola, deveria ser forçada a sair para os extremos e ser marcado por dois jogadores. Se ele estivesse atacando pelo lado esquerdo, deveria novamente ser marcado por dois jogadores. Se estivesse atacando pela direita, deveria ser forçado até o meio e também com a marcação de dois jogadores. E mais, a orientação era para não facilitar caso Jordan passasse por qualquer jogador, que ele deveria ser jogado no chão se preciso. Assim, o Detroit venceu três jogos consecutivos e avançou para as finais da NBA (eventualmente conquistando o título) e a temporada de Jordan terminava mais uma vez nas mãos do Detroit Pistons.

 

 

Enfurecido pelo gosto da derrota, Jordan começou a se preparar ainda mais prevendo um novo encontro com os Pistons nas finais da Conferência Leste de 1990. As médias de sua série eram insanas - 32,1 pontos por jogo, 7,1 rebotes por jogo e 6,3 assistências. Infelizmente, o trabalho foi em vão e os “Bad Boy” de Detroit venceram a serie (desta vez em 7 jogos) pela terceira vez consecutiva e faturaram outro campeonato.

 

Tornou-se evidente nas series de 1990 que Jordan era muito competitivo, mas mesmo assim, os Pistons ainda seguiam fazendo a festa. MJ, intensificou todos os seus treinos durante a “off-season” daquele época, combinando os fundamentos em quadra com fortalecimento muscular. Ele sabia que precisava de muito mais força fisíca antes de outro combate com os Pistons.

 

Nas finais da Conferência Leste de 1991, o Bulls bateu o Pistons, finalmente avançou para as finais, vencendo o Los Angeles Lakers. Jordan teve uma excelente atuação na série com média de 29,8 pontos por jogo e 7,0 assistências por jogo, a maioria dos quais foi para Scottie Pippen que mostrou ter superado o "jogo da enxaqueca" na temporada anterior.

 

 

Um pouco antes do término do último jogo da série, Pistons simplesmente abandonaram a quadra mostrando que não lidam muito bem com derrotas, o que simbolizava o fim da era “Bad Boy” do time. Da mesma forma que o Detroit bateu os Celtics, seria então o momento de Jordan no Chicago Bulls.

 

MJ, Phill Jackson e o Chicago Bulls, venceram três campeonatos consecutivos de 1991 a 1993. Eles também teriam mais três conquistas entre 1996 e 1998. O time em sua história enfrentou excelentes times, mas nenhum os desafiou como os Pistons.

 

 

Os Pistons tinha uma elite de jogadores em quadra. Isiah Thomas e Joe Dumars eram mais fortes que a maioria dos guardas e frequentemente desafiaram MJ no lado defensivo, junto com o trio que provavelmente assustaria qualquer jogador com Bill Laimbeer, Rick Mahorn e Dennis Rodman. Detroit também foi bastante equilibrada com a presença de Vinnie Johnson, Adrian Dantley e Mark Aguirre. Esse equilíbrio, alinhado com intensidade defensiva e coragem, foi suficiente para sobrecarregar o Chicago Bulls.

 

 

Mal sabiam que essas regras tornariam Jordan o maior jogador de basquete de todos tempos.