GREENWOOD, A PLATAFORMA DE APOIO FINANCEIRO À NEGROS E LATINOS
GREENWOOD, A PLATAFORMA DE APOIO FINANCEIRO À NEGROS E LATINOS
Nov 19, 2020

GREENWOOD, A PLATAFORMA DE APOIO FINANCEIRO À NEGROS E LATINOS

Victor Santo FOTO: Cameron Kirkland, Greenwood Bank

Concebido pelo rapper e ativista Michael "Killer Mike" Render, pelo ex prefeito de Atlanta Andrew Young e pelo fundador da Bounce TV Ryan Glover, GREENWOOD é uma plataforma financeira online que visa o apoio à empreendedores negros e latinos, que muitas vezes encontram dificuldades em obter empréstimos de bancos convencionais.


O banco digital, que pelo através do seu nome relembra a 'Black Wallstreet' no antigo distrito de Greenwood em Tulsa, Oklahoma, que foi um local de muita prosperidade econômica até ser destruído por supremacistas brancos, oferece serviços de abertura de contas correntes, poupança, depósitos móveis e transferências, além de possuir uma rede global com mais de 30.000 caixas eletrônicos, serviços de pagamento habilitados pela Apple, Android Pay e Samsung, adiantamentos de contracheques, linhas de crédito especiais e cartões de débito virtuais.


GREENWOOD, também tem um programa de apoio à famílias carentes, onde para cada novo cliente que ingressar ao banco, cinco refeições são doadas. Além disso, para todo uso no cartão de débito Greenwood haverá uma doação para o fundos 'United Negro College Fund', Goodr e NAACP, bem como uma doação mensal de $ 10.000 para diversos clientes, sejam eles negros ou latinos que possuam pequenas empresas.



Para se ter uma idéia, os negros Norte Americanos têm duas vezes mais probabilidade de ter empréstimos hipotecários negados por bancos tradicionais - De acordo com um estudo feito pela FDIC, em 2017, cerca de 17% dos negros Norte Americanos não tinham conta em banco, em comparação com apenas 3% aos brancos.


A plataforma que nasceu da comunidade para comunidade, quer fazer o dinheiro circular acabar com a clara injustiça no sistema financeiro motivada por questões raciais e sociais: “Antes de ser destruída há quase um século, um dólar gasto no distrito de Greenwood em Tulsa circulava 36 vezes antes de deixar a comunidade...” disse Ryan Glover.